Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/1196
Tipo do documento: Tese
Título: A construção da argumentação em textos escritos de alunos surdos e ouvintes de um curso de letras/libras presencial.
Autor: Alves, Sandra Maria de Lima Alves 
Primeiro orientador: Cavalcanti, Wanilda Maria Alves
Primeiro membro da banca: Cavalcante, Marianne Carvalho Bezerra
Segundo membro da banca: Dias Júnior, Jurandir Ferreira
Terceiro membro da banca: Azevedo, Nadia Pereira da Silva Gonçalves de
Quarto membro da banca: Gomes, Robson Teles
Resumo: Pensar na língua de um ponto de vista dinâmico, multifacetado e em constante transformação implica respeito às diferenças existentes entre os seus falantes. O respeito e o aproveitamento de produções individuais de alunos, como material de trabalho, e do grupo social são fundamentais para uma visão sociointeracionista da linguagem. Quando se trata de incluir surdos no processo de socialização por meio da linguagem, observa-se que ainda há grande lacuna teórica a ser preenchida nos centros de formação. Por isso, é tamanha a necessidade de repensar as estratégias usadas nas aulas de português, para que não se recaia no mero ensino da gramática normativa como via de regra. Nesse contexto, emerge a argumentação, pois as divergências surgem como resultado do confronto entre pontos de vista, ou seja, das diferentes vozes do discurso no contexto das interações sociais. Por tal razão, o objetivo desta pesquisa foi analisar as contribuições das aulas de língua portuguesa na construção da argumentação em textos escritos de alunos surdos e ouvintes, na qual foi pensada a introdução da linguagem não verbal, em um curso de extensão ministrado pela pesquisadora no curso de Letras/Libras presencial da Universidade Federal de Pernambuco. No tocante à noção de linguagem, texto e textualidade, valemo-nos das perspectivas de Vygotsky, Batktin, Marcuschi, Antunes, Bardin, Bentes,Koch, Krashen, entre outros. Para construir a noção da argumentação, baseamo-nos em Ducrot, Liberali, Toulmin, Perelman, Olbrechts-tyeca, Leitão, Van Eemeren, Henkemanss entre outros. Objetivando destacar as teorias sobre a questão do indivíduo surdo e suas linguagens, visitamos as obras de Quadros, Fernandes, Karnopp, Lacerda, Santos, Caetano, Pereira, Perlin, SkIiar, Souza e Campelo. Finalmente, longe de esgotar as possibilidades de análise das pesquisas sobre as linguagens não verbais, revisamos uma seleção de teorias sobre imagens, textos imagéticos e multimodalidade, dentre as quais destacamos as de Barthes, Berger, Caramella, Santaella, Dionísio e Burk. Quanto à metodologia da pesquisa, adotamos a investigação qualitativa. O corpus foi constituído de textos escritos pelos alunos, de observações, de entrevistas bem como de alguns recortes de filmagens em vídeos. Para análise do objeto de estudo, inspiramo-nos na análise de conteúdo de Bardin. Os resultados da intervenção realizada mostraram que os alunos surdos apresentaram nas suas produções textuais boa desenvoltura no que tange ao processo argumentativo dos gêneros escritos. No entanto, não pudemos observar nesse grupo que a visualidade determina a potencialidade na argumentação, o mesmo ocorrendo com os alunos ouvintes, participantes da pesquisa. Os alunos ouvintes, também se mostraram com boa capacidade argumentativa, atendendo bem às especificidades do gênero textual trabalhado no curso oferecido pela pesquisadora. Foi possível ainda mostrar que os surdos podem escrever textos argumentativos, desmistificando, assim, a ideia de que por causa das dificuldades atribuídas a eles, por serem usuários de Libras, não o fariam.
Abstract: Thinking about the language from a dynamic, multifaceted and constantly changing point of view implies respect for the differences between its interlocutors. Respect for and enjoyment of individual student productions, such as work material, and the social group are fundamental to a socio-interactionist view of language. When it comes to including deaf people in the process of socialization through language, there is still a large theoretical gap to be filled in the centers of formation. Therefore, there is such a need to rethink the strategies used in Portuguese classes, so that it does not fall on the mere teaching of normative grammar as a rule. In this context, the argument emerges, because the divergences arise as a result of the confrontation between points of view, that is, the different voices of discourse in the context of social interactions. For this reason, the objective of this research was to analyze the contributions of Portuguese language classes in the construction of argumentation in written texts of deaf and hearing students, in which the introduction of nonverbal language was considered, in an extension course given by the researcher in Letters / Libras course at the Federal University of Pernambuco. Regarding the notion of language, text and textuality, we use the perspectives of Vygotsky, Batktin, Marcuschi, Antunes, Bardin, Bentes, Koch, Krashen, among others. To construct the notion of argument, we rely on Ducrot, Liberali, Toulmin, Perelman, Olbrechts-tyeca, Piglet, Van Eemeren, Henkemanss among others. In order to highlight the theories on the issue of deaf individual and their languages, we visited the works of Quadros, Fernandes, Karnopp, Lacerda, Santos, Caetano, Pereira, Perlin, SkIiar, Souza and Campelo. Finally, far from exhausting the possibilities of analysis of research on nonverbal languages, we review a selection of theories on images, imagery texts and multimodality, among which we highlight those of Barthes, Berger, Caramella, Santaella, Dionisio and Burk. Regarding the research methodology, we adopted the qualitative research. The corpus consisted of texts written by students, observations, interviews as well as some video clippings. For analysis of the object of study, we draw on Bardin's content analysis. The results of the intervention showed that the deaf students presented in their textual productions good resourcefulness regarding the argumentative process of the written genres. However, we could not observe in this group that the visuality determines the potentiality in the argument, as well as the hearing students, participants of the research. The listening students also showed good argumentative skills, taking into account the specificities of the textual genre worked in the course offered by the researcher. It was also possible to show that deaf people can write argumentative texts, thus demystifying the idea that because of the difficulties attributed to them, as users of Libras, they would not do so.
Palavras-chave: Língua portuguesa - Estudo e ensino
Língua brasileira de sinais
Linguagem e línguas
Teses
Theses
Portuguese Language - Study and Teaching
Brazilian Sign Language
Language and languages
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Católica de Pernambuco
Sigla da instituição: UNICAP
Departamento: Departamento de Pós-Graduação
Programa: Doutorado em Ciências da Linguagem
Citação: ALVES, Sandra Maria de Lima. A construção da argumentação em textos escritos de alunos surdos e ouvintes de um curso de letras/libras presencial. 2019. 176 f. Tese (Doutorado) - Universidade Católica de Pernambuco. Pró-Reitoria Acadêmica. Coordenação Geral de Pós-Graduação. Doutorado em Ciências da Linguagem, 2019.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
Endereço da licença: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/
URI: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/1196
Data de defesa: 18-Sep-2019
Appears in Collections:Ciencias da Linguagem

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
sandra_maria_lima_alves.pdfTese na íntegra1,97 MBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons