Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/600
Tipo do documento: Dissertação
Título: Produção de biossurfactante por Bacilllus licheniformis utilizando rejeito do abacaxi (Ananas comosus L.) como fonte renovável e de baixo custo
Autor: Almeida, Fabiola Carolina Gomes de 
Primeiro orientador: Campos-takaki, Galba Maria de
Primeiro membro da banca: Okada, Kaoru
Segundo membro da banca: Stamford, Thayza Christina Montenegro
Resumo: Os biossurfactantes são substâncias que podem apresentar características tensoativos, sendo denominadas de biossurfactantes, as quais podem ser produzidas por bactérias e fungos quando cultivados em diferentes fontes de carbono como resultado de seu metabolismo. No presente trabalho foi investigado o potencial biotecnológico de Bacillus licheniformis UCP 1016, bactéria isolada de solo do Porto do Recife contaminado por petróleo, na produção de biossurfactante utilizando a casa de abacaxi (Ananas comosus L.), como meio alternativo. Ensaios iniciais foram realizados para avaliar a produção de bioemulsificante pela detecção da atividade hemolítica e degradação do diesel e querosene. A partir desses resultados, estudos foram realizados com a produção do bioemulsificante no meio de abacaxi controle e com diferentes concentrações dos substratos hidrofóbicos (diesel e querosene a 5 e 10%), como suplementos. Os frascos foram incubados à temperatura de 35°C, 150rpm, durante 72horas, avaliando a cinética de crescimento, índice de emulsificação e tensão superficial. Com a melhor condição de obtenção do bioemulsificante foi utilizado o líquido metabólico livre de células foi utilizado para realizar a remoção do petróleo e óleo motor, como também os testes de estabilidade e fitotoxicidade. Os resultados iniciais com o B. licheniformis demonstraram atividade hemolítica e habilidade para crescer novo meio formulado com casca de abacaxi (9,5x106 UFC/mL), como também com os suplementos diesel (9,8x106 UFC/mL) e querosene ( 8,0x105 UFC/mL), com 72 h de cultivo. A menor tensão superficial apresentou uma redução de 57,73 ± 0,15 mN/m para 38,32 ± 0,16 mN/m, no meio de produção contendo 5% de diesel. Os testes de estabilidade demonstraram que o bioemulsificante foi estável em pH 2 e 4, em 8% de NaCl e ausência de toxicidade. O líquido metabólico livre de células foi capaz de remover 95,15% do petróleo e 85,55% do óleo queimado de motor, respectivamente. Os resultados obtidos sugerem a formulação de um meio alternativo e de baixo custo para a produção de bioemulsificante. A bactéria B. licheniformis mostrou ser um microrganismo promissor, com potencial para aplicação nos processos de biorremediação
Abstract: The biosurfactants are substances that can have characteristics surfactants, being called biosurfactants, which can be produced by bacteria and fungi when grown on different carbon sources as a result of their metabolism. In the present study explores the potential of biotechnology of Bacillus licheniformis UCP 1016, soil bacteria isolated from the Port of Recife contaminated by oil, biosurfactant production using the house of pineapple (Ananas comosus L.) as an alternative. Initial trials were conducted to evaluate the production of bioemulsificante by the detection of hemolytic activity and degradation of diesel and kerosene. From these results, studies were conducted with the production of pineapple in the middle bioemulsificante control and different concentrations of hydrophobic substrates (diesel and kerosene to 5 and 10%) as supplements. The vials were incubated at 35 ° C, 150rpm for 72 hours, evaluating the kinetics of growth, emulsification index and surface tension. With the best condition for obtaining the bioemulsificante was used cell-free metabolic net was used for the removal of oil and motor oil, as well as stability tests and phytotoxicity. Initial results with B. licheniformis showed hemolytic activity and ability to grow new medium formulated with pineapple peel (9.5 x 106 CFU / mL), as well as supplements diesel (9.8 x 106 CFU / mL) and kerosene (8.0 x105 CFU / mL), 72 h of culture. The lowest surface tension was reduced by 57.73 ± 0.15 mN / m to 38.32 ± 0.16 mN / m, in the middle of production with 5% diesel. Stability tests showed that bioemulsificante was stable at pH 2 and 4 in 8% NaCl and no toxicity. The cell-free metabolic net was able to remove 95.15% and 85.55% of oil burned motor oil, respectively. Results suggest the formulation of a medium and low-cost alternative for producing bioemulsificante. The bacterium B. licheniformis was found to be a promising microorganism, with potential for application in bioremediation processes
Palavras-chave: biorremediação
biossurfactantes
bacillus licheniformis
abacaxi
dissertações
bioremediation
biosurfactants
pineapple, dissertation
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS BIOLOGICAS::BIOLOGIA GERAL
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Católica de Pernambuco
Sigla da instituição: UNICAP
Departamento: Desenvolvimento de Processos Ambientais
Programa: Mestrado em Desenvolvimento de Processos Ambientais
Citação: ALMEIDA, Fabiola Carolina Gomes de. Produção de biossurfactante por Bacilllus licheniformis utilizando rejeito do abacaxi (Ananas comosus L.) como fonte renovável e de baixo custo. 2010. 83 f. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento de Processos Ambientais) - Universidade Católica de Pernambuco, Recife, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/600
Data de defesa: 26-Mar-2010
Appears in Collections:Desenvolvimento de Processos Ambientais

Files in This Item:
File SizeFormat 
pre-textuais.pdf1,76 MBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.