Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/730
Tipo do documento: Dissertação
Título: Inscrição subjetiva como alicerce da autoria: produções textuais de crianças a partir de leitura de cordéis
Autor: Mélo, érica Maria Silva Montenegro de 
Primeiro orientador: Melo, Maria de Fátima Vilar de
Primeiro membro da banca: Carvalho, Glória Maria Monteiro de
Segundo membro da banca: Frej, Nanette Zmeri
Resumo: A presente Dissertação é resultado de pesquisa vinculada ao Projeto Sujeito do Inconsciente, Discursos e Inserção Social em Situações de Aquisição e Distúrbios de Linguagem, obedecendo, portanto, aos critérios e normas adotadas por ele. Escrever envolve o sujeito numa infinidade de ações, entre as quais algumas exigirão dele mais do que sua consciência pode dar, mais do que todas as suas aprendizagens podem convocar e mais que habilidades ou competências que ele possa dominar. É por esse motivo que a escola vem sendo o palco onde a escrita destituída de autoria vem sendo cada vez mais combatida, com os professores entrando no embate contra a cópia. E esse mau procedimento se dá, muitas vezes, mesmo em detrimento de a escola refletir as modificações da vida moderna, com todas as suas facilidades, em que se incluem as muitas discussões em torno da autoria das crianças em suas atividades de produção textual e de pesquisa. Apesar da resistência escolar, essa escrita recheada de elementos que mais soam como cópia mascarada ou recontagem de outros textos ganha cada vez mais espaço entre os jovens ―escritores‖. Escrever, na essência, implica marcar distância da cópia, de modo a permitir enxergar quem está ali, escrevendo, e não copiando o dito de outrem. Implica, sobretudo, chamar para si a responsabilidade sobre o que está sendo escrito. Este estudo, então, consiste no resultado da coleta de produções textuais de crianças em processo de aquisição da linguagem escrita, que vieram à luz a partir da leitura de folhetos de literatura de cordel destinados ao público infantil. As análises foram realizadas, tomando-se como referência alguns conceitos da teoria psicanalítica, especialmente, na leitura dos trabalhos de Freud, Lacan e da Professora Claudia de Lemos, particularmente da fase em que esta se filiou ao campo da psicolinguística. Esse campo teórico permitiu-nos filiar à concepção de língua e linguagem como atravessamento do sujeito do inconsciente. Tais estudos serviram para nos possibilitar tanto a identificação de elementos de inscrição subjetiva das crianças em seus textos, como para pensar sobre seus erros, direcionando o olhar para perceber a singularidade que se instala em suas produções, distanciando-nos da explicação desses erros e nos aproximando de sua interrogação. Dessa maneira, a singularidade das produções textuais das crianças revela-se importante para a tomada desse erro como evidência do movimento da língua nos sujeitos, como algo constitutivo e indicador de singularidade, como consequência, as produções textuais nos permitiram identificar indícios de autoria. Percebemos, assim, que a inscrição subjetiva está presente nos textos das crianças como uma condição de autoria, alicerçada na subjetivação do sujeito, mesmo aquelas que ainda dão os primeiros passos na aquisição da linguagem escrita. Tal questão se constitui um indício do traço autoral que os pequenos escritores vêm trilhando desde cedo, sobretudo, porque se implicam em sua escrita. Esse caminho foi escolhido na intenção de que os professores dediquem especial atenção à autoria como inscrição dos alunos nos textos que produzem
Abstract: This work is the result of a research linked to the Project Subject from the Unconscious, Discourse and Social Insertion in Situations of Acquisition and Language Disturbs, obeying, this way, to the criteria and rules adopted by it. Writing involves the subject in infinite actions, among them some will demand from him/her more than his/her consciousness can give, more than all his/her learning can demand and more abilities or competences that he/she can dominate. That is the reason why school has been on the stage where the writing, dismissed from authorship, has been criticized by the teachers who are trying to stop the copies. This bad procedure happens, many times, even when the school reflects the modifications of modern life, with all its facilities, in these are included many discussions around the children authorship in their textual and research productions. Although the school resistance, this writing fulfilled with elements that look like more a bad faking copy or retelling from other texts is opening space among young ―writers‖. Writing, in its essence, implies making distance from the copy and implies, in a way that allows to the reader noticing who is the subject there, writing the text, and not copying the other s quote. This study, then, consists in a result of a collection of textual productions from children in written language acquisition process, that were made from the reading of cordel leaflets done to children. Analysis was made, taking as reference some concepts of psychoanalytic theory, specially, in the reading of Freud works, Lacan and teacher Claudia de Lemos, particularly in the phase that was linked to the psycholinguistic camp. This theoretical camp allowed us to link the conception of langue and parole as an unconsciousness subject crossing. These studies were useful to make possible the identification of subjective inscription elements from the children in their texts, and to think about their mistakes, directing the look to notice the singularity that is installed in their productions, making us far from the explanation of these mistakes and making us close from the questioning. This way, the singularity of the children s textual production shows its importance to the review of the mistakes like an evidence of subject s language movements, as something constitutive and indicative of singularity, as a consequence, the textual productions would allow us to identify the evidences of authorship. We noticed that, the subjective inscription is in the children text like an authorship mark, based on the subject subjectification, even in those that are in their first steps in language acquisition. That question is constituted by an evidence of authorship mark that the little writers has been tracking since the earlier times, above all, because it results in his/her writing. This path was chosen with the intention that the teachers give special attention to the authorship like student s inscription in the texts that they produce
Palavras-chave: psicanálise
psicolinguística
subjetividade
autoria
criação (literária, artística, etc.) - crianças
literatura de cordel
dissertações
psychoanalysis
psycholinguistics
subjectivity
authorship
creation (literary, artistic, etc) - children
chapbooks
dissertation
Área(s) do CNPq: CNPQ::LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Católica de Pernambuco
Sigla da instituição: UNICAP
Departamento: Ciências da Linguagem
Programa: Mestrado em Ciências da Linguagem
Citação: MÉLO, érica Maria Silva Montenegro de. Inscrição subjetiva como alicerce da autoria: produções textuais de crianças a partir de leitura de cordéis. 2010. 194 f. Dissertação (Mestrado em Ciências da Linguagem) - Universidade Católica de Pernambuco, Recife, 2010.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/730
Data de defesa: 30-Jun-2010
Appears in Collections:Ciencias da Linguagem

Files in This Item:
File SizeFormat 
dissertacao_erica.pdf10,06 MBAdobe PDFView/Open ???org.dspace.app.webui.jsptag.ItemTag.preview???


Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.