Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/849
Tipo do documento: Tese
Título: A-cerca da política e clínica do autismo no século XXI : o autista como objeto e o objeto autístico para a psicanálise
Autor: Oliveira, Julianne Gomes Correia de 
Primeiro orientador: Frej, Nanette Zmeri
Primeiro coorientador: Melo, Maria de Fátima Vilar de
Primeiro membro da banca: Andrade, Fernanda Wanderley Correia de
Segundo membro da banca: Queiroz, Edilene Freire de
Resumo: Esta dissertação é fruto de uma investigação sobre a especificidade dos objetos na clínica do autismo. Por ser bastante frequente na clínica do autismo as chamadas estereotipias e fixações em objetos próprios, alguns psicanalistas teorizaram sobre a complexidade dos objetos autisticos na clínica. Essas teorias estão sendo revisitadas por alguns psicanalistas contemporâneos que se contrapõem à proposta de Frances Tustin, de que os objetos autísticos são nocivos. As novas hipóteses afirmam que a fixação do autista nos objetos não se reduz a estereotipias sem fundamento; é uma repetição da ordem do gozo, numa constante tentativa de barrar seu excesso. Fazer barreira é constituir limites e fronteiras. O manejo dos objetos, é uma invenção do autista, visa refrear o gozo, dar lugar a um endereçamento ao Outro e mobilizar sua posição encapsulada em si mesmo. Acreditamos que este posicionamento traz uma mudança de paradigma, pois retira o autista do lugar de deficitário para o de responsável em inventar possibilidades de assujeitar-se . Portanto, fizemos uma importante reflexão sobre o contexto político e clínico do autismo no século XXI. Articulamos a premissa de Lacan, de que toda formação humana tem por essência, e não por acaso, refrear o gozo, às novas hipóteses de que o uso dos objetos é uma invenção do autista que busca o ordenamento do excesso de gozo. Apostamos que este posicionamento implica em uma postura clinica ética com a vida dessas pessoas que, com muita dificuldade, tentam se endereçar ao Outro. Em paralelo aos estudos teóricos, realizamos uma pesquisa em um Centro de Atenção Psicossocial Infanto-Juvenil (CAPSi) da cidade do Recife, com o objetivo geral de compreender a especificidade dos objetos na política, teoria e clinica do autismo. Especificamente: Compreender a função dos objetos autísticos na teoria da clínica psicanalítica; Analisar o discurso vigente nas políticas de tratamento do autismo;Realizar uma pesquisa de campo com a função de ilustrar os usos dos objetos autisticos em um capsi. No tocante à metodologia, os dados analisados são oriundos da revisão de literatura e dos prontuários de crianças com diagnósticos de CID F84 a F84. 9 (Transtornos Globais do Desenvolvimento) no CID 10, (Classificação Internacional de Doenças), objetivando identificar a existência destes objetos na experiência clínica dos profissionais. Esses dados foram analisados à luz da teoria psicanalítica freudlacaniana, dando-se destaque ao significante. A escolha do serviço para realização da pesquisa não foi aleatória ou sem propósito. Acreditamos que o CAPSi, por ser um serviço novo e intensamente desafiador, constitui-se num local de valiosas experiências clinicas, que exige dos profissionais reinventarem cotidianamente suas práticas. Nos três casos analisados podemos atender aos objetivos propostos, e compreender a especificidade dos objetos autisticos para cada um. Percebemos que, nos casos analisados, a conduta e o saber clínico que profissionais ocupam na clinica do autismo, consiste em um lugar de vazio de gozo, secretariando o sujeito em suas invenções.
Abstract: This dissertation is the result of an investigation about the specificities of the objects in autism s clinic. For being very frequent in autism s clinic the so called stereotypies and the fixation on personal objects, some psychoanalysts have theorized about the complexity of autistic objects in the clinic. These theories are being revisited by some contemporary psychoanalysts who oppose to the idea reached by Frances Tustin, that the autistic objects are harmful. The new hypotheses claim that autistic fixation on objects is not merely baseless stereotypies, it s a repetition related to the jouissance, on a constant attempt to stop its excess. To make a barrier is to build limits and boundaries. The use of objects is an invention of autistic to curb the jouissance, enabling an addressing to the Other, and mobilizing his encapsulated position in himself. We believe that this positioning brings a change of paradigm, because it takes the autistic out of the place of deficit to responsible for making possibilities, of subjecting . Therefore we have made an important reflection about the political and clinical context of autism in the XXI century. We articulate Lacan s premise that all human formation has, by essence, and not by chance, to curb the jouissance, to the new hypotheses that the use of objects is an invention of the autistic that aims the ordering of the excess of jouissance. We bet that this positioning implicates on an ethical clinical posture towards the life of these people who, with a lot of difficulty, try to address the Other. Besides the theoretical studies, we have made a research on an Infant-Juvenile Psychosocial Care Center (CAPSi) of Recife city, with the general objective of understanding the specificity of objects in politics, theory and clinical autism. Specifically: Understanding the role of autistic objects in psychoanalytic theory; analyze the discourse prevailing policies autism treatment; Perform a search field with the function of illustrating the uses of objects in an autistic capsi. Concerning Methodology, the analyzed data arise from the reports of children with the diagnosis from ICD F84 to F84.9 (Other Neurotic Disorders) on ICD 10, (International Classification of Diseases), aiming to identify the existence of these objects in the professionals clinical experience. These data have been analyzed under Freud-Lacanian theory, highlighting the significant. The choice of the center to make the research was not random or purposeless. We believe that the CAPSi, for being a new and intensively defying service, is a place of valuable clinic experiences, which demands from the professionals to reinvent their daily practice. In the three analyzed cases, we can comply with the purposed objectives, and understand the specificity of autistic object for each. We realize that, in the analyzed cases, the clinical management and knowledge that professionals take place on autism clinic, consist on an empty jouissance place, secretarying the subject in his inventions.
Palavras-chave: psicologia clínica
autismo
crianças autistas - relações com a família
psicanálise
psicologia social
gozo
dissertações
clinical psychology
autism
autistic children - relationships with family
psychoanalysis
social psychology
enjoyment
dissertations
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Católica de Pernambuco
Sigla da instituição: UNICAP
Departamento: Psicologia Clínica
Programa: Doutorado em Psicologia Clínica
Citação: OLIVEIRA, Julianne Gomes Correia de. A-cerca da política e clínica do autismo no século XXI : o autista como objeto e o objeto autístico para a psicanálise. 2013. 98 f. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica) - Universidade Católica de Pernambuco, Recife, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/849
Data de defesa: 13-Jun-2013
Appears in Collections:Psicologia Clinica



Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.