Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/856
Tipo do documento: Tese
Título: A trama paradoxal do ódio no psiquismo
Autor: Barros, Maria Neuma Carvalho de 
Primeiro orientador: Rocha, Zeferino de Jesus Barbosa
Primeiro membro da banca: Safra, Gilberto
Segundo membro da banca: Almeida, Ronaldo Monte de
Terceiro membro da banca: Passos, Maria Consuêlo
Quarto membro da banca: Francisco, Ana Lúcia
Resumo: O ódio ― um dos principais elementos de nossa relação com o outro ― é um afeto que suscita rejeição. Na perspectiva psicanalítica, ele protagoniza o processo de estruturação subjetiva do sujeito e por vezes funciona como elemento de preservação psíquica, como nos revela a prática clínica. Diante disto, é oportuno indagar: de que forma o ódio atua no psiquismo? A presente pesquisa se propõe a ser prolongamento da atividade clínica e a dar prosseguimento a estudos por nós anteriormente desenvolvidos. Para tanto, recorremos às postulações de três dos principais autores e psicanalistas conhecidos: S. Freud, M. Klein e D. W. Winnicott. Considerando as concepções de sujeito e de psiquismo humano de cada um desses autores, constatamos, em suas teorizações, a existência de dados fundamentais para o entendimento da presença do ódio na dinâmica psíquica. Partindo de tais teorias ― aqui parcialmente ampliadas por reflexões de estudiosos da atualidade sobre tal afeto ―, centramos nossa investigação na trama paradoxal do ódio, dada sua ambivalente atuação na dinâmica psíquica: funciona tanto como elemento de estruturação e afirmação do sujeito, quanto de resistência e destrutividade. Transitando entre os polos teórico e clínico ―e desse modo realçando a articulação ativa entre teoria e clínica, tal como postula a psicanálise ―, recorremos também a fragmentos clínicos para ilustrar nosso argumento central. Os exemplos clínicos reportados neste texto sugerem, em suma, que o ódio ― tal como evidenciado no processo de análise ― pode ser igualmente usado como defesa, assim modificando o desenvolvimento da trama psíquica. Acreditamos, finalmente, que esta tese possa vir a se constituir em subsídio e contribuição para aqueles que se dedicam à prática psicanalítica e ao estudo da psicanálise, particularmente no que diz respeito às complexas e reveladoras manifestações do ódio, características da condição humana.
Abstract: Hatred ― one of the main constituent elements in one s relationship with other people― is a kind of affection that may engender rejection. From a psychoanalytical perspective, it protagonizes the self s subjective structuring process and, at times, contributes to psychic preservation, as revealed in clinical practice. Thence, the need to start this work by posing the following question: how does hatred work in the psychic structure? This research is meant to be an extension of clinical practice and of our previously developed studies. To achieve this goal, we have resorted to some of the concepts of three major psychoanalists and authors: S. Freud, M. Klein and D. W. Winnicott. Considering their concepts on both the self and human psychism, we have detected in their theories pieces of information which are basic to the understanding of the presence of hatred in psychic dynamics; in addition to this, we have here examined some present day scholars contributions to our theme. All of these materials have helped us perceive the paradoxical plot created by the ambivalence of this affection in psychic dynamics, where it works not only to build up the self s structure and affirmation, but also as an element of resistance and destructiveness. Moving from theory to clinical practice ― and thus reinforcing the active articulation between both these poles, as recommended by psychoanalysis ― we have also resorted to clinical fragments to illustrate our major argument. The clinical examples here reported suggest, in short, that hatred can be equally used as a defense ― as evidenced, for example, in the analytical process ―, thus modifying the development of the psychic plot. Finally, we do believe that this investigation can eventually contribute to the work of those who dedicate themselves to psychoanalytical practice and the study of psychoanalysis, particularly as regards the complex and revealing expressions of hatred, which are characteristic of the human condition.
Palavras-chave: psicologia clínica
psicanálise
afeto (psicologia)
ódio
Freud, Sigmund, 1856-1939
Klein, Melanie, 1882-1960
Teses
clinical psychology
psychoanalysis
affect (psychology)
hatred
Freud, Sigmund, 1856-1939
Klein, Melanie, 1882-1960
theses
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Católica de Pernambuco
Sigla da instituição: UNICAP
Departamento: Psicologia Clínica
Programa: Doutorado em Psicologia Clínica
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/856
Data de defesa: 14-Aug-2014
Appears in Collections:Psicologia Clinica



Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.