Export iten: EndNote BibTex

Please use this identifier to cite or link to this item: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/868
Tipo do documento: Tese
Título: Sexualidade na escola: discursos de alunos, mães e professores
Autor: Pinto, Virgínia Cavalcanti 
Primeiro orientador: Amazonas, Maria Cristina Lopes de Almeida
Primeiro membro da banca: Gesser, Marivete
Segundo membro da banca: Lima, Ricardo Delgado Marques de
Terceiro membro da banca: Barreto, Carmem Lúcia Brito Tavares
Quarto membro da banca: Dias, Cristina Maria de Souza Brito
Resumo: Para Foucault a sexualidade é um dispositivo histórico , ou seja, se constitui no movimento da história, sendo uma invenção social de um determinado tempo. Sua constituição se dá a partir das construções no campo discursivo sobre o sexo que abarca os saberes sobre ele, bem como sua normatização e regulação social através das produções de verdade. Este trabalho busca problematizar os discursos de alunos, mães e professores do Ensino Médio, acerca do tratamento dado às questões de sexualidade na escola. Para isto, tomou para participantes mães, professores e alunos de uma escola pública da rede estadual de ensino de nível médio da cidade do Recife. Trata-se de uma pesquisa de natureza qualitativa que utiliza como técnicas a observação participante e a entrevista de grupo focal. Os grupos foram formados por professores, mães e alunos da referida escola. Os participantes receberam um estímulo visual de imagens, de pessoas e símbolos, com variadas possibilidades de interpretação sobre o tema sexualidade e em seguida ouviram uma pergunta disparadora: como as questões sobre sexualidade circulam na escola? As discussões foram filmadas apenas para fins de análise, resguardando-se o sigilo total sobre a identidade dos participantes. A riqueza da discussão desse grupo heterogêneo possibilitou a aproximação do assunto com a realidade vivenciada pelos participantes. A construção dos dados indicou, entre outras questões, que os discursos de saber sobre a temática que perpassam os participantes no ambiente escolar priorizam uma sexualidade atravessada pelo discurso médico biologizante, especialmente no que diz respeito aos aspectos preventivos. Além disto, o sexo é tratado como algo que traz consequências predominantemente nocivas ao jovem e não como algo saudável que faz parte da vida, sobretudo no período de descobertas da adolescência. Os participantes referem que os discursos que circulam na escola sobre a temática são contraditórios: ora são incentivadores de uma prática da sexualidade, pois entendem que falar sobre o assunto é estimular a prática sexual, ora visam apenas à prevenção de doenças. Apesar da discussão sobre sexualidade ser considerada pelos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs) como um tema transversal, quando questionados a respeito de quem deveria tratar o tema nas escolas, os professores tendem a delegar esta tarefa a um profissional exterior ao ambiente escolar, sobretudo ao psicólogo. Na escola estas discussões acontecem, predominantemente, nas aulas de biologia e os alunos reforçam a importância deste espaço para tirar dúvidas, pois afirmam não conseguir dialogar abertamente sobre o assunto em casa. Não é comum a frequência dos pais/responsáveis nesta escola, fato que dificultou inicialmente a composição dos grupos. Além disso, em sua formação, contamos apenas com a participação de mães, apesar do convite ter sido feito, também, aos pais. A discussão sobre a sexualidade e seus desdobramentos na escola visa contribuir para novas perspectivas de trato sobre o tema, além de aproximar o diálogo entre pais, professores e alunos de modo que seus discursos não se apresentem como verdades isoladas de cada grupo, mas que possam interagir abrindo o debate para um campo de possibilidades que contribua positivamente para a vivência da sexualidade dos alunos.
Abstract: According to Foucault, sexuality is an historical device, which means that it has been composed through the history as a social invention of a particular time. The establishment of sexuality starts from the development in the discursive field about sex that includes the knowledge about it, as well its regulation through real productions. This work seeks to question the discourse of students, parents and teachers of high school, about the treatment of the issues of sexuality in school. The participants in this qualitative research study were mothers, teachers and students in a state public high school in Recife-PE, who were observed and interviewed. They received a visual stimulus with images of people and symbols, with different possibilities of interpretation on the theme sexuality and then heard a prompt question: how are the sexuality issues circulating in the school? Discussions were filmed only for analysis purposes, protecting the participant s identity. The construction of the data indicated, among other things, that the speeches about this topic surroundedbythe participants in the school environment prioritize a sexuality crossed by the medical discourse, especially regarding to the preventive aspects. In addition, sex is treated as something that brings predominantly negative consequences to the young people and not a healthy part of life, especially in adolescence discoveries period. Although the discussion about sexuality has been considered by the National Curriculum Parameters (PCNs) as a cross-cutting issue, when questioned about who should deal with the topic in schools, teachers tend to delegate this task to a professional outside the school environment, especially the psychologist. At school these discussions take place predominantly in Biology classes and students emphasize the importance of this space to ask questions. They state that they don t have the opportunity to talk about it at home openly. The low frequency of parents/guardians in this school initially hindered the composition of the groups. In addition, only the mothers participated in this study, although the invitation was made also to other guardians. The discussion about sexuality and its consequences at school aims to contribute to new perspectives on the topic, as well as closer the dialogue between parents, teachers and students. Therefore, their speeches would not present themselves as isolated truths of each group, but interact opening the debate to a field of possibilities that contribute positively to the experience of sexuality of the students.
Palavras-chave: psicologia clínica
sexo (psicologia)
pais e adolescentes
pós-estruturalismo
adolescentes - comportamento sexual
educação sexual para adolescentes
doenças sexualmente transmissíveis
teses
clinical psychology
sex (psychology)
parents and adolescents
post-structuralism
teens - sexual behavior
sex education for adolescents
sexually transmitted diseases
theses
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Católica de Pernambuco
Sigla da instituição: UNICAP
Departamento: Psicologia Clínica
Programa: Doutorado em Psicologia Clínica
Citação: PINTO, Virgínia Cavalcanti. Sexualidade na escola: discursos de alunos, mães e professores. 2016. 1 f. Tese (Doutorado em Psicologia Clínica) - Universidade Católica de Pernambuco, Recife, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://tede2.unicap.br:8080/handle/tede/868
Data de defesa: 8-Mar-2016
Appears in Collections:Psicologia Clinica



Items in TEDE are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.